Marlene Constantino

Cada pedacinho de sonhos guardados, quando tocados renascem, voam como borboletas

Áudios

CALADA
Data: 28/08/2016
Créditos:
Publicado por: Marlene Constantino
Data: 28/08/2016
Classificação de conteúdo: seguro

Créditos:
Texto: CALADA - Marlene Constantino
Locutor: Voz: Marcos Sergio T. Lopes
Editor: Média Player

Agradeço de coração o amigo poeta Marcos Sergio pelo presente, pela belíssima voz que deu a minha poesia.
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Imagem: Arte Rita Lopes

CALADA
Marlene Constantino

Chorou à seco.
Foi de fora para dentro,
seus rios 
engolidos pelo mar.
Uma dor guardada,
sem réplica, sem queixa,
em total inércia.
Ficou assim, 
como quem se cansa 
dessa sensação
de não poder parar,
ou silenciar seu coração.
Debater-se ao vento,
ser pena solta, 
ou flor desfolhada.
Folha desgarrada na ânsia
 de viver mais um pouco
e mais nada. 
Enfim, 
deixou num tempo 
sem fim 
repousar seu lamento...
Tão quieta - Calada! 
 
13/10/2010
 
 

 
Enviado por Marlene Constantino em 28/08/2016

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras