Marlene Constantino

Cada pedacinhos de sonhos guardados, quando tocados renascem, voam como borboletas

Áudios

TURVA É A CHUVA
Data: 19/10/2017
Créditos:
Texto: TURVA É A CHUVA
Autora: Marlene Constantino
Música:concerto pour une_voix
Orquestra -André Rieu
Media Player
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Imagem: Arte Neusa Suely

TURVA É A CHUVA
Marlene Constabtino

Tremulam as águas
e eu cá curvo-me inteira,
fecham-se na haste as rosas.
Pensar não quero,
sinto um medo tamanho.
Não me peça para falar
porque as rosas
não se revelam assim;
ficam silentes,
choram um visgo rubro.
Eu no meu silêncio
choro o amor orvalhado
Impiedoso espinho.
Sinto frio, um arrepio
de mal agouro,
assim como as rosas,
trêmulo no vento,
descrente,
deserdo da voz a palavra;
Enquanto os olhos escorrem
emudeço, engulo a seco
o meu deserto.


06/08/2010
Enviado por Marlene Constantino em 09/07/2015

Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras