Marlene Constantino

Cada pedacinho de sonhos guardados, quando tocados renascem, voam como borboletas

Textos


Imagem: Arte Auber Fioravante Jr.

EU TE CHAMO SOL
Marlene Constantino

Ah o tempo! É um devorador de histórias
e eu não me importo com ele,
tenho que me ater às batidas do coração.
Importante é o que fica,
não o que se perde.
A cada Luar me ponho a pensar
até quando vou poder ver as estrelas,
caminhar na beira do mar,
sentir a brisa fria beijar meus olhos.
É tão poético o pensamento.
Sim, a noite inspira o meu nobre poeta,
Mas não é só de poesia
que o Luar clama e, muitas vezes chora
o suspirar das marés...e das memórias...
A correnteza vai 
sob a chuva fina que parece infinda; 
e a entrega à breve morte 
que o sono leva ao amanhecer...
E eu não me canso,
te chamo Sol porque é preciso 
ter muitas vidas para sanar as dores de cada dia.

08/05/2017


"A vida não precisa ser longa,
só precisa ser profunda..." (Madá)
Marlene Constantino
Enviado por Marlene Constantino em 09/05/2017

Música: Fly_me_to_the_moon - Doris Day

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras