Marlene Constantino

Cada pedacinhos de sonhos guardados, quando tocados renascem, voam como borboletas

Textos




TÃO SILENTE
Marlene Constantino

^A^¤Söl*®

 
Uma cortina de névoa se abriu,
rasgou o silêncio e, de trás daquele olhar
gotas do mar calidamente caiu!

Partiu de manhã.
Na luta entre sombra e luz, renasceu.
Alva e nua, desperta em asas
numa poesia chamada Céu !

 
Marlene Constantino
Enviado por Marlene Constantino em 11/02/2020
Alterado em 12/02/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras