Marlene Constantino

Cada pedacinhos de sonhos guardados, quando tocados renascem, voam como borboletas

Textos



CONFISSÃO- Marlene Constantino
^A^¤Söl*®

 
Meu jardim de margaridas secou. Deve ser o gelo espalhado pelo caminho.

Olho com tristeza aquele lado sombrio tomar conta do meu céu de passarinhos. Tu bem sabes, gosto das flores, do riso, do abraço apertado, do amor pulsando no peito,  da mesa farta, a dança de vozes entre risadas e canções. Hoje sinto o frio cortante, o sangue gelado pulsando no coração.

Confesso sim, fez-me falta aquela companhia, também esperei  para abrigá-la em mim novamente, recordar a infância de meninas e tu bem sabes, em direção daquele sorriso eu voaria.  Mas, ouvi a canção do silêncio seguir o curso do rio.  Vi o tempo ultrapassar os ponteiros do relógio e eu? Continuei, esperando só, numa multidão de sós . 

Então, não cantaremos mais as nossas canções, todas se encolheram, envelheceram e se foram com as minhas margaridas.

Bem seria mais fácil refletir e perdoar...

                                                                   Marlene Constantino
 
Marlene Constantino
Enviado por Marlene Constantino em 02/08/2021
Alterado em 24/08/2021
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários



Site do Escritor criado por Recanto das Letras